Marca, do zero ao começo

tony

In profi Posted

Você vai encontrar várias definições para marca, pois cada empresa e cada profissional de gestão prefere embalá-la num rótulo que lhes caiba melhor para o que pretendem viver e vender.

Ela é tudo isso aqui:

A primeira forma de apresentar e diferenciar uma pessoa, empresa, produto ou serviço no mercado. Quanto mais distinta visualmente, mais fácil será lembrada, e quanto mais alinhada com a promessa que vende (comunica), mais sucesso faz;

Um conceito, uma promessa de valor que a sua empresa cumpre no mercado, a partir de um produto ou serviço, representando assim uma diferenciação perante seus concorrentes;

Um sinal gráfico, construído a partir de um símbolo, logotipo ou a junção de ambos;

Todas as expressões visuais, verbais e não verbais, de uma empresa e seus stakeholders internos, somadas a todas as formas que seus stakeholders externos utilizam para falar sobre ela.

 Gosto de completar estes significados com esta frase aqui:

um organismo vivo e dinâmico que, como uma pessoa, procura seu lugar no mundo para determinar uma posição especial entre os demais.

Uma boa marca prescinde de itens fixos, como valores, core business, e elementos estáticos relacionados ao design, como manuais de identidade visual, livro da marca, entre outros.

 

Contudo, ela é viva em como aplica-se em seus produtos e serviços, e como fala com os públicos que quer atingir.

 

Tal qual você, e a marca que existe a partir disso: viva, fluida, dinâmica.

Com tom de voz diferente em cada meio e para cada público [conforme você decidiu posicionar-se em cada rede social].

 

Deve[ria] ter elementos visuais de união, de reforço empático e que sejam pontes que nos façam passar sem falhas por entre o que se diz e como se faz.

O ponto zero é aceitar que você, sim, é uma marca.

Pode trabalhar em sua imagem, discurso, mensagem, visual, a fim de tornar todos os seus produtos e serviços mais vendáveis e passíveis de alcançar os objetivos que busca [da colocação desejada na empresa/emprego dos sonhos à tornar-se @ empresá[email protected] multimilioná[email protected]].

 

A imagem projetada são suas fotos, onde quer que você se exponha.

O que elas dizem sobre você? Como uma pessoa que não te conhece, pode te julgar / avaliar a partir delas?

Somadas as suas fotos de perfil, que são aquelas onde há o contato diário, qual história contam?

Já a sua mensagem pode [deve] ser consistente com uma linearidade de temas.

Falar sempre a mesma coisa? Não, falar sempre dos assuntos que tem a ver com seus valores fundamentais e com a mensagem que deseja passar, com a “imagem básica” que deseja criar quando as pessoas pensarem em você e/ou falarem de ti quando você não estiver no local.

Ou seja: será que aquele tantão de reclamação (por exemplo) não pode sugerir uma pessoa que está sempre insatisfeita, logo, não tão agradável de conviver?

Se você pudesse avaliar tudo que está visível de suas publicações, toparia ser contratado e/ou fechar um negócio consigo?

O visual é uma mistura da linguagem com a “embalagem”, ou seja, vai desde uma coisa boba como a fonte que você utiliza, até a repetição de um jeito de ou local onde você tira suas fotos, grava seus vídeos, etc.

Agora sim, vamos ao começo.

O que você quer vender? Como você quer apresentar?

Você fará isso sozinho, ou precisa de validação [sócios, chefes, colaboradores]?

A vida funciona segundo a segundo, e não existe nada que pode ser feito pra que eles passem com outra velocidade, exceto nossas atitudes.

 

Ou seja, esse grande objetivo que você tem pode é deve ser quebrado em partes médias, feitas de partes menores, que você vai fazer uma a duas por dia, todos os dias.

E de pequena vitória em pequena vitória, você nem vai ver o tempo passar porque está chegando onde quer.

Não precisa ser o zica do planejamento e organização, nem o mestre Jedi das técnicas SMART e OKR, muito menos o deus do Lean e Agile pra fazer isso!

O jeito mais fácil de conseguir é pensar em como você faz as coisas que mais ama na vida.

Pode até parecer que não, mas há uma organização lá, prontinha pra ser copiada para as demais coisas que quer e precisa fazer.

Se vai dar um nome pra ela depois, jóia :)… aliás, a associação de momentos felizes da vida como recompensa após atividades cotidianas é uma das melhores ferramentas de fortalecimento mental que existe.

E sem força mental, você nem levanta da cama, certo?

No mais: revisou, organizou, planejou, pronto! Você começou a pensar como marca. É o primeiro passo.

 

O próximo é estabelecer uma promessa, e cumpri-la. Esse papo fica pro próximo texto 🙂