Sucesso infinito: branding para pequenas empresas

Sabe qual é a ideia mais absurda? É aquela que sabemos que é factível, mas não investimos por desconhecimento e medo.

Utilizar as ferramentas estratégicas de gestão de marca [branding] para sua marca pessoal, microempreendimento ou pequena empresa não é uma manopla do infinito, forjada aos grandes titãs.

As jóias que você precisa para começar a estalar o dedo e materializar seu sucesso estão ao alcance das suas mãos [e você não vai precisar de megaproduções pra isso].

Vem comigo que eu te explico como tornar-se o herói do próprio negócio:

Jóia da realidade: Você já tem os dois maiores ativos que precisa.

Seu nome / imagem, e a 1ª marca que você usa / cria.

São as coisas mais valiosas que você possui para seu negócio começar a decolar. 

A relação de confiança que é estabelecida a partir deste dois pilares vêm antes dos produtos e serviços.

Logo, tão importante quanto o que vender, é como vender, e que propósito esta venda simboliza.

Os produtos e serviços validam esta confiança e propósito, traduzem sua imagem e sua mensagem. E eles precisam ser excelentes.

Jóia do poder: produtos e serviços excelentes.

Para que assim sejam, você tem que colocar o máximo de energia em fazê-los melhores que os dos concorrentes. Como você NÃO vai conseguir isso?

Com jeitinhos, achando que um tutorial ali em qualquer mídia social ou um mero CTRL+V de alguém que você supõe que está com sucesso [lembre: é muito fácil fazer as coisas parecerem maiores do que são, especialmente nas mídias sociais], seria o caminho mais adequado;

Fazendo tudo do seu marketing, sem contar com parceiros proporcionais ao que você pode pagar;

Sem estudar a concorrência e o mercado onde você está entrando [e isso é completamente diferente de sair copiando quem está com sucesso];

Sem avaliar seus custos e despesas de maneira minimamente viável;

Sem uma proposta de valor que seja mais interessante do que o que já existe no mercado.

Enquanto não pode pagar, sim, use todas as ferramentas grátis que conseguir (no link ali tem quase 100), mas quando puder, não seja medíocre nem mesquinho, invista.

Dedique seu tempo e energia – e a dos seus colaboradores – em aprender a ter e fazer o melhor produto e serviço do seu mercado, e não em ser um “microespecialista em todas as coisas”. Crie experiências singulares, especiais, para seus clientes.

Sempre serão muitos pratos para girar ao mesmo tempo.

Coloque-se girando aqueles que vão te fazer prosperar.

E conte com o apoio de iniciativas como o SEBRAE, que deixam “tudo desenhado” para você entender como pode fazer o que quiser.

Jóia do tempo: Organização

O que é uma marca? Provavelmente você ouça – e diga – bastante o termo Logomarca, e sim, este símbolo ou grafia que representam sua empresa, produtos e serviços também são isso.

Mas a sua marca também é uma ideia. E ideias precisam ser constantemente fomentadas para o público que desejamos que esteja em contato com ela, mais que contatar, consumam.

E como essa ideia se mantém viva?

As pessoas adoram escolher aquilo que elas confiam;

Também preferem empresas que satisfaçam suas necessidades – foco no produtão ou servição fora da curva! – para que estabeçam fidelidade;

Confiança e fidelidade só se estabelecem com relacionamento;

Relacionamentos propiciam a sua marca que ela seja vista, ouvida, lembrada e indicada. Aumentam sua reputação, criam vantagens competitivas, e diferenciam você da concorrência;

Como construir relacionamentos? Comunicação e design.

Organização é tirar 3-6 dias da semana, dentro de um mês, e conversar com seus consumidores atuais, com seus colaboradores, com alguns concorrentes, e entender o que gostam, o que não gostam; o que funciona ou não, o que está tirando ou colocando dinheiro no seu negócio, o que acham feio ou bonito, enfim: “olhar para o todo”, separar em partes, alavancando as coisas positivas e criando meio de solucionar as negativas.

Assim você coloca o tempo para trabalhar como seu parceiro, e não como um inimigo.

A boa e velha história: todo mundo tem 24h, as mesmas, inclusive. A diferença é usá-las de maneira inteligente e estratégica, para chegar onde você deseja.

Organizando suas ações e planejando seus passos, mesmo que você não saiba o final do caminho, saberá por onde está andando.

Logo, percorrer o caminho apresentação – consumo – percepção – feedback – relacionamento – lucro, será feito com menos dores e de maneira muito otimizada.

Jóia da alma: comunicação e design

Arranque uma pedra da minha testa se você nunca ouviu que comunicação – propaganda – é a alma do negócio [exceto se você for um jovem leitor, ai te dou um desconto!].

A comunicação tem um parceiraço, chamado design. Estas duas ferramentas são praticamente mágicas, quando se trata de transformação de negócios. Entenda:

O celular que você usa, as roupas que escolhe, os locais que gosta de frequentar… absolutamente todos eles têm algum aspecto ou função que te encantam, que combinam com a sua essência;

Esta associação só é construída com Design. Começa lá na sua marca – logomarca, com uma letra e um símbolo que traduzam bem o que você quer fazer, e porque as pessoas devem escolher você e não o concorrente. Passa por embalar seus produtos e serviços com uma roupa que os vendam de maneira coerente. Continua na repetição e na habituação – em todos os pontos de contato que o cliente vai ter com a sua marca, ele precisa ler e ver a mesma coisa / mensagem.

Antes que você levante sua sobrancelha da desconfiança, calma: sabe quanto Design custa? Pouco, muito pouco. Caro é não utilizar.

A Comunicação tem o papel de desenhar uma mensagem adequada com o seu produto ou serviço, e repeti-la nos locais certos, para as pessoas ideais. Você provavelmente já sabe o que as pessoas que mais consomem de você, gostam de ouvir.

Te basta a atenção de captar essa mensagem e repeti-la para as pessoas que ainda não tiveram a oportunidade de escolher você e seu negócio.

Caso esteja começando, desenhe a pessoa ideal para ser sua cliente. E passe a procurar por ela.

São centenas de ferramentas, “guarda-chuvadas” em 4 áreas: sinalização interna (materiais de imagem da marca, como cartão de visita, assinatura de email, etc.), externa (fachadas, placas, decoração), meios offline (jornais, revistas, rádio, tv), online (sites, mídias sociais, email) e relação de influência (assessoria de comunicação, influenciadores digitais). Comece pelas que você tem acesso e necessidade de possuir, e depois adeque-se à sua realidade financeira / estratégica.

Sabidas as ferramentas possíveis, e as pessoas desejadas, construido um produto ou serviço que geram uma experiência única, hora de dar um sentido para essa comunicação.

Jóia do espaço: posicionamento

Posicionamento é traduzir, em palavras e ações, o que você, quem você é, e o que está fazendo no mercado.

A partir do design, tornará visual esta tradução.

Com a comunicação, ele será propagado.

E quanto mais firme e sólido, mais você será capaz de acreditar no que está dizendo e fazendo.

Esta força será repassada e sentida por seus colaboradores. E a segunda tradução disso tudo? Vendas, lucro, resultado.

Percorrida toda essa jornada, em algum momento sua satisfação – ou frustração – vai te colocar no ponto que você deveria ter pensado desde o “momento zero” onde te bateu a vontade de empreender.

Jóia da mente: propósito

Sabe a tal história do “com um bom porquê enfrentamos qualquer como”? É simples como isso.

Propósito é a natureza da sua ideia, o motivo e motivadores que te fizeram despender uma energia enorme para colocar mais uma empresa no mercado, mais um negócio no ar.

Não se questiona as necessidades que você precisa satisfazer. Elas são suas, e o julgamento só cabe a quem vai lidar com elas.

A vida todo dia nos apresenta a incrivel oportunidade de aprender, para assim, corrigir nossa rota e nos manter em paz com o que faz nosso coração vibrar positivamente.

Para seu negócio, definir um propósito é a escolha racional de permanecer num estado de constante atualização da marca.

De olhar sempre para onde você está, com quem está se relacionando, quem está consumindo, qual é o saldo – monetário e social – de todo esse investimento, para dar os passos seguintes para onde suas necessidades te direcionam.

Quando você menos esperar, as jóias todas estarão na sua mão, e a mão dentro da manopla.

A manopla do sucesso infinito é a soma de todas estas ferramentas.

Ou melhor: você é a manopla. O mercado é o Thanos, doido pra te absorver e fazer com que se mantenha apenas sendo o pó, eliminando indistintamente quem está por aí.

Nada de pirar achando que você vai precisar ser um vingador para salvar seu próprio universo.

Branding para pequenas e médias empresas é dominar superpoderes, tornar-se o herói do seu próprio negócio sem bancar o salvador da galáxia.

É transformar a sua marca numa pessoa, com cabeça (uma plataforma de marketing, design e comunicação), esqueleto (solidez de negócio), coração (propósito e cultura fortes), capaz de respirar (através da organização e gestão contínua) e racionalizar (a partir de você e de eventuais colaboradores) de maneira coerente, para assim ganhar um espaço na mente dos seus clientes. Multiplicados os clientes, essa pessoa cada vez será maior, mais importante.

E quando menos esperar, aquela ideia que parecia absurda, tornou-se o medo de todos os concorrentes e dos demais mercados. Mesmo que seu desejo não seja ter uma corporação bilionária, dê atenção para estas ferramentas, use-as, trabalhe nelas com sabedoria.

Afinal, sequer precisa ser o maior negócio / empreendimento do mundo. Basta que seja para você, e para uma quantidade de pessoas suficiente para a materialização dos seus desejos mais intimos e suas aspirações sociais.

Gostou? Repasse para um vingador que anda desanimado e desesperançoso com a batalha. Sempre tem um capítulo novo e uma reviravolta nos esperando.
E bora conversar! Eu comento sobre este assunto graças à minha paixão por gestão de marcas, e a pós que deixou meu coração quentinho para trabalhar nela, o que faço desde que me entendo como profissional.
Construir marcas – minha e dos meus clientes – é meu exercício diário, e por consequência, minha profissão 🙂