Os degraus da construção de marca – branding na prática

tony

In profi Posted

Na escada das marcas, você desliza ou detona?  Essa escada aqui está localizada na cidade de Filadelfia, estado da Pensilvania, Estados Unidos.

Lendária pelo filme Rocky, e tara de 11 entre 10 consumidores de esportes que reconhecem o simbolismo da subida destes degraus.

Há quem diga que os passos mais complicados são os primeiros, como quem diz que são os últimos. O interesse em caminhar é ainda mais complexo de atingir, no fim das contas.

E construir uma marca – seja a pessoal, seja a do seu negócio – é como encarar aqueles degraus. É abraçar o desejo de fazer, e aceitar que  acertos são perspectivas diferentes sobre o significado de erro.

Afinal, marcas são a sua primeira possibilidade de competir, em qualquer mercado.

Tem alguns erros que você pode evitar.

Erros ao construir sua marca –  01 – tentar vender terreno no céu

Uma marca bem construída funciona como um motor, como um condutor e construtor de espaço pro seu negócio, simbolizando e significando a promessa que você quer entregar ao mercado.

Só que essa promessa precisa ser real, factível. Entregue por seus produtos e serviços.

A ideia de vender terreno no céu pra quem vai morrer é genial mas… Ninguém voltou de lá pra contar como que constrói 🙂

 

Erro 02 – a Terra é plana e eu posso provar

Nada contra os terraplanistas, em tempo. Cada um acredita no que quer e tá tudo bem!

Em qualquer cenário, toda confiança e certeza do mundo é um grandessíssimo nada se você está baseado em uma inverdade, ou mentira, para os menos sensíveis.

Qual é a lógica de dizer ou comunicar que seu produto ou serviço possuem características que não têm? Exceto pelo nosso costume com a maior parte dos políticos, a mentira não é um bom valor a ser utilizado para qualquer coisa que deseje vender.

 

Promessa boa é promessa que pode ser cumprida.

Marca boa é marca que entrega o que promete.

Garanto que você lembra de alguma promessa que as marcas não cumpriram pra você, certo?

Será que não tá vendendo alguma promessa aí que não pode cumprir?

 

Erro 03 – ajdifkwripofacmsd, xdcubineribgef, fheuftrovmnkdhj!

Difícil entender, né?

Então… a tentação de repetir pro mundo que achamos que nosso trabalho é o mais legal da galáxia e por isso todo mundo tem que comprar é real e constante.

Abra qualquer mídia social, e vai esbarrar em alguém dizendo que vai te ajudar, falando só dele mesmo.

Mesmo que consiga não falar apenas sobre si, usa uma linguagem ou argumentação que “não te pega”.

Ou seja: simples é melhor. É difícil, requer interesse maior em servir do que ganhar dinheiro, mas dá.

Pergunte para as empresas mais lucrativas da história. Confira entre aquelas que alinham o que dizem, com o que fazem, e como fazem.

E são percebidas como realmente gostam…

 

Erro 04 – CPF e RG. E você, é o quê?

Você gosta da foto do documento que mais usa?

Geralmente as pessoas não se enxergam confortáveis nos documentos que têm.

Mas tem quem jure de pé junto que #marca, pessoal ou corporativa, é só um RG.

E isso é um erro. É muito legal que você seja um ser humano. Tem mais ou menos 7,2 bilhões do mesmo espécime vagando na Terra.

A maior parte de nós tem um documento de identificação, mas isso não é a nossa marca. Isso não deve ser a nossa marca.

A sua marca deve ser toda a associação visual e verbal, estruturada e coesa, que lembrem as pessoas que você é bom em cumprir determinadas promessas, a partir de um produto ou serviço.

Capaz de evoluir com o tempo, tal e qual mudamos de gosto conforme envelhecemos, mudamos de ideia quando nos informamos, lidamos com as coisas melhor ao amadurecer, adaptando-nos ao tempo e aos públicos com os quais nos relacionamos.

 

Erro 05 – você é especial como uma gota d’água no copo

Ao lado da tentação de só falar de si [e não servir aos outros], fica o sentimento de que o que você faz é único.

É o tipo de sentimento que morre na primeira sentadinha na sala de espera pra uma entrevista de emprego, onde você certamente passou por dezenas de filtros e ainda será escolhido entre outras pessoas.

Sim, é provável que você [sua empresa / ideia] tenha características singulares. Mas se elas não forem fortes pra você, jamais serão fortes para o mercado.

Ter e expressar seus valores de maneira adequada é um grande atalho para aumentar sua competitividade.

Agir conforme eles são [d]escritos podem colocar a concorrência para comer poeira.

E assim, mais pessoas vão matar a sede na sua fonte.

 

Conclusão – erros para evitar ao construir uma marca

Na batalha para construir sua marca pessoal ou ressignificar o propósito da sua empresa, produto ou serviço, sempre bom não esquecer que a marca é sua primeira forma de competir.

A marca é a sua primeira forma de competir.

Depois vem os diferenciais, entregar aquilo que a concorrência não entrega, envelopar isso tudo num design / contexto relevante para as pessoas que mais podem comprar de você.

Fazer isso tudo de forma simples – com clareza, o que é diferente de simplório –  real, compreensível e factível, que identifique o que você quer vender de maneira singular, não é um bicho de 5 cabeças.

Requer a ferramenta que mais se usa mal no tempo em que escrevo este texto: a atenção.

Atenção em entregar uma experiência pro seu cliente que não seja mais do mesmo, que não cumpra tabela, que também o tire da rotina, especialmente a mental.

Atenção em dedicar-se a ser o melhor naquilo que quer por na rua, e contando com ajuda naquilo que você sabe que é melhor botar na mão de um especialista, tal e qual você deve ser no seu negócio.

 

Eu sou o Tony, e tudo que comunica eu faço.

Agora, me diz: o que achou do texto? Tem pílulas dia sim dia não lá no instagram, e todos os dias no linkedin. Será um prazer conversar contigo 😉